Nardò - Cathedral
This is a file from the Wikimedia Commons. Click the pic to see its description page and licensing.

NARDÒ

Entre Galatina e o Mar Jônio, na província de Lecce, é possível visitar Nardò, centro de origem antiguíssima e cidade artística capaz de fascinar o mais exigente visitante que se interesse por arte.

Provas de povoamentos humanos datam do Paleolítico e foram encontradas na Baía de Uluzzu em diversas grutas que restituíram achados de grande interesse artístico.
Quanto a origem, existem muitas hipóteses e se coligam aos navegadores cretenses que chegaram à costa jônica no II milênio a.C fundando Neriton, ou os egípcios, mas certamente Nardò foi centro messapico que exisita ja do X a.C.
Como todos os centros messapicos passou pelo seu máximo esplendor nos VII e VI para depois entrar no domínio grego de Taranto contra a qual guerrearam os cavaleiros messapicos diversas vezes e, quase sempre vencendo.
Os antigos inimigos se aliaram mais tarde contra Roma sob o comando de Pirro que derrotou os romanos muitas vezes mas, com muitos prejuízos. Em 269 a.C., Pirro tornou no Epiro chamado pelos negócios internos e, toda a Puglia passou sob Roma.
Durante a II Guerra Púnica, Annibale se instalou na Puglia conquistando vários centros habitados entre os quais Nardò.
Durante as guerras civis, acontecidas entre o 90 e o 88 a.C., Nardò restou contra Roma pagando com o isolamento e abandono.
Na época imperial renasceu graças à política de paz introduzida por Augusto que fez prosperar o comércio com o Oriente, e assim a região tirou disso grande proveito. Foram construídas novas estradas que alcançaram a via Appia e Neretum chegando assim até a via Trajana Salentina, única com a poderosa Taranto.
Sob os bizantinos, depois da guerra greco- gotica (535- 553) e, apenas por poucos anos sob o domínio dos longobardos (662- 690), chegaram os monges basilianos que fugiam da perseguição iconoclástica (VIII) e deram assim origem à cultura religiosa rupestre visível na zona Le Tagliate e, fundaram a Abadia de Santa Maria de Nerito.
Atacada pelos saracenos no início do X, Nardò passou aos normandos em 1058 a.C. com Goffredo, neto de Roberto il Guiscardo, conde de Conversano. Com o novo senhor foi edificado o castelo e foi fortalecido o burgo.
Com a vinda dos svevos (1194), a cidade foi administrada por Simone Gentile e Nardò apoiou o imperador Federico II e seu filho no confronto com o Papa. Foi por isso atacada e danificada pelas cidades guelfas fiéis ao Papa, entre as quais Taranto e Brindisi (1255).
Voltando aos svevos, sucumbiu aos angioinos (1269) que justiçaram Simone Gentile, último descendente dos vassalos.
Sob os Angiò, foi governada por numerosos senhores feudais entre os quais, Filippo de Toucziaco, Guidone d’Alemagna, Mobila de Cotigny, os Del Balzo e os Sanseverino.
Sob os aragoneses, foi vendida por Federico I aos Del Balzo Orsini por 11 000 ducados e no 19 de maio de 14874, foi atacada pelos venezianos que depois de ter conquistado Gallipoli, entraram na cidade.
Em 1497, Nardò foi feudo do conde Belisario Acquaviva que realizou importantes reformas arquitetônicos na cidade. No confronto franco- espanhol foi ocupada por poucos meses pelas tropas do capitão Lautrec (1528).
Voltando aos Acquaviva, Nardò permaneceu sob o governo desses até 1806, ano da abolição do feudalismo por vontade de Giuseppe Bonaparte.
Durante o 1600, Nardò explodiu em uma revolta popular contra o senhor feudal Acquaviva, culpado de mau governo (1647). A repressão foi talmente dura que quebrou a econômia da cidade por muitos anos.
Nardò participou ativamente aos movimentos ressurgimentais. Tornou- se cede de uma revenda carvoeira chamada Fenice Neretina e depois participou aos confrontos contra as tropas fiéis ao Borboni.
Em 1861, depois do voto plebiscito do ano anterior, Nardò foi unificada ao Reino da Itália.

Centro da cidade de Nardò é a Praça Salandra onde se encontram edifícios barrocos como o Palácio da Pretura e a Igreja de San Domenico (1500).
Pouco distante surge a linda Catedral românica (1090), construída sobre um precendente edifício religioso, e, o Palácio Vescovile.
Outras igrejas dignas de nota: a renascimentista Igreja do Carmine (1529), Santa Chiara, Sant’Antonio de Padova.
Na Praça Diaz, localiza- se o majestoso Castelo Acquaviva (XV), atual cede da prefeitura.

NARDÒ
cidade da arte

Região Apulia em Italia

 

Guia da cidade
perfil artístico

 

Cidades em Apúlia
Bari
Andria
Barletta
Brindisi
Foggia
Lecce
Taranto
Trani
Outras cidades da arte
Acaya
Alberobello
Alezio
Altamura
Ascoli Satriano
Bisceglie
Bitonto
Bovino
Calimera
Canosa
Casarano
Castel del Monte
Castellaneta
Ceglie Messapica
Cerignola
Cisternino
Conversano
Copertino
Cutrofiano

Francavilla Fontana

Galatina
Gallipoli
Gioia del Colle
Giovinazzo
Gravina
Grottaglie
Isole Tremiti
Locorotondo
Lucera
Maglie
Manduria
Manfredonia
Martano
Martina Franca
Massafra
Melendugno
Melpignano
Mesagne
Modugno
Molfetta
Monopoli
Monte Sant'Angelo
Nardò
Ostuni
Otranto
Parabita
Peschici
Poggiardo
Polignano a Mare
Putignano
Ruvo di Puglia
San Ferdinando di Puglia
San Vito dei Normanni
San Severo
Specchia
Terlizzi
Tricase
Troia
Ugento
Vico del Gargano
Vieste
Sitios Arqueológicos
Egnazia
Ordona (Herdonia)
Oria
Siponto

In Italy Today
As guias de Italia
> as cidades da arte
> lista completa
> as regiões da Italia
Eventos e exposiçãoes
Hotel e B&B

 


LINK DE ARTE Y VIAJE - SITIOS WEB SELECCIONADOS

  • Your ArtTravelSite - http://www.yoursite.com
    Description of web site.
  • ... insert you link!

 


Vuoi inserire un LINK?
Hai un HOTEL o un'altra attività legata al TURISMO IN ITALIA?

Promuovilo nella pagina della tua città dentro IN ITALY TODAY!
OFFERTE PROMOZIONALI PER I PRIMI LINK

Art Travel directory

SUGIERE UN SITIO-VIAJES

 

In Italy Today ama a arte

ę IN ITALY HOTELS NETWORK